Ajustes directos: o polémico Parque das Azenhas

PdA

Foto@Notícias da Trofa

A história do Parque das Azenhas é desde há muito tempo solo fértil para polémicas que atravessam a execução demorada de uma obra cuja inauguração acabou por ser acelerada para servir os interesses eleitorais do Partido Socialista da Trofa, nomeadamente para receber, já na recta final da campanha para as Autárquicas de 2013, a visita de António José Seguro num parque que não tinha bancos, baldes do lixo ou piso decente por toda a sua extensão, ao longo da qual era possível ver um conjunto de postes de electricidade pousados no chão à espera de serem colocados no sítio.

Presente no dia da inauguração precoce, a Silvéria Miranda aprofundou o diagnóstico de um equipamento longe de se apresentar como algo pronto a ser utilizado pelos trofenses. Pouco demorou até que alguns membros da claque protagonizassem um dos momentos mais patéticos daquela campanha eleitoral, que inclusive custou alguns votos ao PS. Relativamente ao triste episódio do “calhau com olhos”, confesso que me causou muita satisfação adicional quando vi o PS cair porque, idealista como sou, fico sempre esperançado de não voltar a assistir ao recrutamento de figuras para ocupar cargos de elevada responsabilidade pública com base no seu aspecto físico e popularidade mas mentalmente incapazes de perceber a diferença entre “democracia” e “recreio da escola primária”. O patético foi de tal ordem que chegamos, eu e a Silvéria, a ser acusados de estar a soldo do PSD. Como as hostes do bloco central são tão mas tão iguais, quase dois anos depois vejo a caixa de comentários do blogue invadida por anónimos e outros cobardes sofredores de diarreia mental crónica que afirmam que afinal estamos a soldo do PS. Tão básicos e palermas que eles são.

Mas as polémicas não ficaram por aqui. Entregue por 2.053.617,57€ à empresa Alexandre Barbosa Borges SA em 13 de Novembro de 2012, com um prazo de execução de 120 dias, esta obra continua por concluir mais de 900 dias depois. Para além do atraso inicial, que levou ao tiro no pé socialista de inaugurar a obra antes do tempo, a obra continua longe de estar concluída, o que levanta diferentes questões, sendo o risco de perda de fundos comunitários a mais relevante. Para além deste aspecto, importa relembrar que o inverno passado levou consigo partes desta obra que foram desaguar a Vila do Conde.

Claro que, como de costume, os gastos não se ficaram pela obra. E entre vários ajustes directos feito no âmbito da mesma, voltaram a ser gastos rios de dinheiro em publicidade e numa inauguração que, muito sinceramente, custa a perceber como terá custado tanto dinheiro. No caso do Parque das Azenhas, os contratos selectivos levados a cabo pela CMT não se resumem ao actual executivo, tendo começado ainda com os socialistas no poder. Vamos dar uma vista de olhos:

1.“PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PARA A REALIZAÇÃO DA CERIMÓNIA DE INAUGURAÇÃO DO PARQUE DAS AZENHAS

Custo: 26.671.71€ + IVA = 32.806,20€                                                                                          Data do contrato: 13.09.2013                                                                                                       Adjudicatário: JOÃO ANDRÉ SILVA DE MATOS – SERVIÇOS DE SAÚDE UNIPESSOAL

2. AQUISIÇÃO DE SERVIÇOS DE PUBLICIDADE E DIVULGAÇÃO DO PARQUE DAS AZENHAS (DESDOBRÁVEL INFORMATIVO, LIVRO FAUNA E FLORA, EXPOSIÇÃO PERMANENTE – ÁGUA E BIODIVERSIDADE, FILMES – ADULTOS E CRIANÇAS, CONCEÇÃO E PRODUÇÃO DE OUTDOORS)

Custo: 27.400€ + IVA = 33.702€                                                                                                      Data do contrato: 12.12.2014                                                                                                     Adjudicatário: ANP SOARES, SOCIEDADE UNIPESSOAL, LDA.

3. AQUISIÇÃO DE SERVIÇOS DE PUBLICIDADE DO PARQUE DAS AZENHAS (ANÚNCIOS NA COMUNICAÇÃO SOCIAL, MUPPIS, CARTAZES E FLEYERS)

Custo: 20.210€ + IVA = 24.858,30€                                                                                              Data do contrato: 17.12.2014                                                                                                     Adjudicatário: CANAL 5 RADIODIFUSÃO E GESTÃO DE MEIOS PUBLICITÁRIOS, LDA.

Em linha com a estrutura do artigo aqui publicado na passada Quarta-feira, também no caso do Parque das Azenhas existem alguns valores e “coincidências” que levantam dúvidas. Vamos olhar para elas:

Os valores:

  • A inauguração do Parque das Azenhas, da qual sinceramente não me lembro, custou perto de 33 mil euros. Recorrendo ao mesmo exemplo que usei no artigo sobre a obra de união dos parques, o custo de organização do Be Live 2014, com 3 dias de concertos e bandas de renome nacional custou apenas mais 4 mil euros. Onde raio se gastaram 33 mil euros nesta inauguração que passou tão despercebida?
  • Exactamente em quê é que se gastaram 58,5 mil euros em publicidade? Onde é que ela está?

As coincidências:

  • A empresa ANP Soares é representada no contrato por alguém cujo nome é Ana Soares, nome que partilha com a antiga designer do Correio da Trofa e do Cinetrofa, tema que já abordei em Janeiro. Poderá ser uma coincidência ou então um caso que tresanda a promiscuidade e favorecimento. Recordo que a mesma empresa, um mês antes do ajuste directo em questão, tinha sido já brindada com outro ajuste directo, no valor total de 32.353,92€.
  • A segunda coincidência é uma não coincidência mas não me apeteceu criar uma nova categoria. Acaba por ser mais um dúvida quase existencial: exactamente qual terá sido o critério para escolher uma empresa cuja designação social refere “Serviços de Saúde” para levar a cabo uma inauguração? Sou só eu a achar que algo aqui não bate certo?

Tudo junto, publicidade e inauguração, a factura adicional do Parque das Azzenhas totaliza 91.366,50€, factura essa que é partilhada entre o anterior e o actual executivo. E o parque nem terminado está. Vale a pena pensar nisso.

Advertisements
This entry was posted in Ajustes Directos, Parques and tagged , , , , , . Bookmark the permalink.

3 Responses to Ajustes directos: o polémico Parque das Azenhas

  1. Anonymous says:

    Tens de pedir explicações á Dr. Joana Lima. Mandou fazer esta obra para ganhar as eleições

  2. Anonymous says:

    A Ex. mandou construir o Parque das Azenhas para ganhar eleições, mas deu-se mal…..

Deixa aqui o teu comentário...

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s