Jota events

Tuna de uma jota qualquer.

 

Como qualquer jovem mais ou menos ligado à rede social, de quando em vez, sou obrigado a aceitar e ou a recusar convites para os mais diversos eventos organizados pelos mais diversos grupos, associações e movimentos. No meio desta dezena semanal de convites que recebo, aparece sempre uma ou outra mega acção de solidariedade para salvarmos o Liró, Cão das Piruetas, ou um workshop ultra especializado para socorrismo da Fatu, a Tartaruga Mágica. Acções muito válidas e valiosas e que, de forma alguma, pretendo questionar. Reforço que não pretendo mesmo criticar as vontade solidárias e gostava que isso ficasse claro doravante. O que me intriga nestes eventos é quem os organiza, uma tal de Jota events.

Pelo que tenho conseguido apurar, a Jota events está por trás de 9 em cada 10 eventos que qualquer juventude partidária organiza. Por todo o país, planeia, organiza e divulga de forma a acreditarmos que o evento teve muito sucesso e que dentro da sala não estavam mais do que os jotinhas e os paizinhos dos partidinhos. Não pode ser nenhuma das jotas a organizar estes eventos porque, como é seu dever, estão ocupadas a elaborar progressistas propostas relacionadas com as politicas de juventude, da educação e do emprego ou a rever currículos para tachos.

Recentemente, no território-diamante, a Jota eventos repetiu mais uma edição do solidário festival de tunas dos jotas laranjas. Evento que costuma ter uma organização simpática, uma sala composta, uma causa nobre e boas tunas a concurso. Face à oferta que, até nos concelhos vizinhos, não existe, o evento costuma ter merecido destaque. Não estou devidamente credenciado para cotar eventos do género, mas costumo assistir a alguns e, sempre que posso, participo e interesso-me por este. Este ano não tive oportunidade mas folguei em saber que recolheram mais de uma tonelada de alimentos. Tenho a certeza que serão bem entregues.

A tónica para analisarmos este tópico não pode ser colocada no evento em si. Temos de olhar de forma abrangente para o que não é feito. Facilmente percorremos o que vai sendo noticiado sobre as jotas e sobre o seu contributo para a política de juventude do concelho e percebemos que estão concentrados em três pilares: formações para os militantes (campos de férias/infantários de verão), eventos solidários (festas e festinhas) e bater palmas / atirar pedras. Gostava de poder reconhecer nas jotas alguma representatividade para um determinado grupo de cidadãos, os mais jovens. Mas não, ao contrário disso, limitam-se a funcionar como uma rasca associaçãozita de apoio aos partidos. Era interessante, mas ainda vai demorar a que percebam que estão muito distantes dos objectivos para que foram criadas.

Advertisements

About Pedro Amaro Santos

Da Rua José Moura Coutinho (N14) chego a qualquer parte do Mundo.
This entry was posted in Juventudes partidárias, Uncategorized and tagged . Bookmark the permalink.

Deixa aqui o teu comentário...

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s