Uma bola neve pré-eleitoral

JL denúncia II

Na edição de papel do Jornal de Notícias do passado Sábado, a ex-autarca trofense Joana Lima voltou a estar em destaque. Depois de na passada semana termos ficado a conhecer as acusações deduzidas pelo Ministério Público (MP) contra a socialista, sobre as quais falei no meu artigo da passada semana n’O Notícias da Trofa, um novo episódio ensombra o mandato do Partido Socialista que terminou em 2013.

Ao contrário do que aconteceu com a acusação do MP, que, ao que pude apurar, deriva de uma denúncia anónima, denúncia essa que terá muito provavelmente sido lançada durante a campanha eleitoral para as Autárquicas de 2013 com claros objectivos eleitorais, desta vez é o próprio executivo camarário PSD/CDS-PP que assume a denúncia ao MP por Joana Lima ter alegadamente duplicado ajudas de custo, beneficiando desta forma de dinheiros públicos de forma ilegal. A confirmar-se, trata-se de um grave abuso que deverá ser levado às últimas consequências.

Contudo, e apesar do deficiente funcionamento da justiça portuguesa quando em causa estão membros do poderoso bloco central, a anterior autarca trofense encontra-se perante um grave problema que poderá inclusive significar o fim da sua carreira política. Claro que, se tomarmos como exemplo o processo instaurado a Bernardino Vasconcelos em 2013, processo no qual o primeiro autarca trofense estava acusado de 8 crimes de falsificação agravada e outros 8 de abuso de poder, rapidamente concluímos que o mais certo é nada acontecer. Em Portugal, o regime está bem blindado contra si próprio.

É importante realçar que nada disto é ao acaso. Apesar de estarmos ainda a meio ano de distância das Legislativas, estas coisas começam a cozinhar-se cedo. Não é por acaso que estas questões emergem agora, como não é por acaso que o PS Trofa substituiu o discurso centrado na questão dos livros escolares por um novo focado na questão da transparência, apesar dos rabos de palha. O tom violento do recente comunicado da JSD ou a agressividade do convite de migração para Santo Tirso do presidente da CMT seguem o mesmo diapasão. Os próprios seres anónimo-partidários, baixos instrumentos de propaganda como o Pedro aqui referiu também já aí andam. Da mesma forma, timing em que a questão das dívidas de Pedro Passos Coelho à Segurança Social surge também não é inocente, como não é inocente o cozinhar, em lume brando, de José Sócrates. São jogos políticos que visam abrir trincheiras com objectivos claros. É a bola de neve eleitoral em todo o seu esplendor.

Advertisements
This entry was posted in A História repete-se, Política Local and tagged , , , , . Bookmark the permalink.

Deixa aqui o teu comentário...

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s