Cinetrofa: vamos ler uns filmes?

Cine

Arranca hoje aquela que é, a meu ver, a iniciativa cultural mais interessante do mandato da coligação Unidos pela Trofa. O Cinetrofa – Festival Internacional de Cinema e Literatura da Trofa – promete agitar o concelho da Trofa até ao próximo Sábado, dia 4, e o cardápio é variado, com uma oferta rica e diversificada, do cinema infantil ao mainstream, passando por homenagens a grandes vultos da 7ª arte ou da literatura. Haverá ainda um festival/concurso de documentários e filmes que conta com a participação de 356 inscritos, oriundos de 51 países de todos os continentes! O programa pode ser consultado aqui.

Durante as últimas semanas, só os mais distraídos não terão reparado nos inúmeros cartazes espalhados por todo o concelho a anunciar este evento, que não só foram causando burburinho entre os trofenses mas que foram também despertando a curiosidade de muitas das milhares de pessoas que todos os dias percorrem a N14 e vivem nas proximidades do “diamante”. Penso que esta forma de publicitar o evento foi uma aposta ganha e uma jogada muito inteligente, pois ao invés de grandes outdoors, mais espaçados entre si e com preços bastante elevados, se optou por algo mais simples mas ao mesmo tempo tremendamente eficaz e abrangente.

Esta iniciativa começa hoje mas o seu impacto já se faz sentir desde Agosto. Nos últimos dias, colegas de trabalho residentes em Famalicão, Maia ou Porto questionaram-me sobre esta iniciativa e mostraram-se interessados e dispostos a dar um salto à Trofa durante os próximos dias. Ganha a Trofa e ganha o comércio local, com destaque para cafés e restaurantes que poderão fazer importantes receitas nos próximos dias, fruto de uma maior afluência de potencial clientela durante o período do evento. A comunicação social nacional também deu algum destaque ao Cinetrofa, como se pode comprovar com os artigos publicados em órgãos de comunicação social de abrangência nacional como o JN, o CM, o Porto Canal ou o Notícias ao Minuto.

Também durante as últimas semanas, o Cinetrofa percorreu as freguesias do concelho, associando-se a outras iniciativas locais e levando o cinema ao ar livre a milhares de trofenses. Uma descentralização de saudar, que de resto é uma das marcas de referência da governação de Sérgio Humberto e que se vê noutras iniciativas como as Assembleias Municipais que têm, tal como o cinema, andado por todas as freguesias. E o resultado parece ter sido um sucesso a julgar pela quantidade de trofenses que se juntaram para o visionamento dos filmes que foram levados às suas freguesias. As fotos disponíveis no Facebook do evento falam por si.

A criatividade tem sido uma imagem de marca da promoção deste evento. Do Cinecopos, iniciativa que decorreu no bar Dezperados na passada Sexta-feira, dia 26, onde foi exibido o filme Control, inspirado no percurso de Ian Curtis dos Joy Division, à projecção de imagens do Tubarão junto à piscina do Aquaplace, ou ao Moonset no final do mês de Agosto que só pecou por ter acabado cedo demais (01h), várias têm sido as iniciativas “fora da caixa” associadas ao Cinetrofa. Parabéns à organização por estes side events cujo custo reduzido contrasta com a originalidade e a irreverência, características que andam habitualmente de mãos dadas com a cultura.

As críticas a este tipo de evento são fáceis. A mais fácil de todas será apontar o dedo ao gasto em tempo de crise e face a outras prioridades, inegáveis. Mas as pessoas precisam de cultura e iniciativas inovadoras. Não chega dizer que estas coisas só acontecem noutras terras. É importante saber apoiá-las quando estão na nossa. E se os pouco mais de 65 mil euros envolvidos na realização deste evento podem parecer muito, relembro-vos que, por exemplo, a vinda da Volta a Portugal à Trofa, que basicamente “passou” aqui envolveu verbas bem mais avultadas.

Finalmente quero chamar a vossa atenção para um “detalhe” que para muitos poderá parecer irrelevante mas que para mim tem um significado especial. É que apesar de sermos actualmente governados por uma coligação de direita, tal não impediu que José Saramago ou Gabriel García Márquez estivessem entre os principais destaques deste evento. Até Karen Shakhnazarov, cineasta russo e declarado apoiante de Vladimir Putin e de uma intervenção da Rússia na Ucrânia terá direito à sua homenagem. Para mim, este é um sinal de abertura pouco comum, principalmente entre políticos, e deve ser saudado. Ou não fosse o PSD, o principal partido que constitui esta coligação, o mesmo de Cavaco Silva, o suspeito presidente da República que por diversas vezes fez de conta que não conhecia o único prémio Nobel da Literatura que este país teve. Por esse motivo, quero daqui enviar os meus parabéns ao executivo pelo arrojo!

Não fiquem em casa! Se puderem, aproveitem a oportunidade de participar no pontapé de saída deste grande evento com a inauguração da exposição “Itinerário da Inquietação” do artista plástico Agostinho Santos, dedicada a José Saramago e que contará com a presença de Pilar del Rio, viúva do Nobel da Literatura, pelas 11h na Estação Ferroviária da Trofa. Aproveitem ou não venham depois dizer que “nunca se passa nada na Trofa“. Há muitos “filmes para ler” 🙂

Advertisements
This entry was posted in Cultura and tagged , , , , , , , , , . Bookmark the permalink.

2 Responses to Cinetrofa: vamos ler uns filmes?

  1. Pingback: Não deixem o Cinetrofa cair! | …e a Trofa é minha!

  2. Pingback: Festrofa: dois pesos, duas medidas? | …e a Trofa é minha!

Deixa aqui o teu comentário...

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s