José Ferreira, um autarca indignado com elevação

José-Ferreira

(foto: O Notícias da Trofa)

Foi com um misto de espanto e de satisfação que li a entrevista do presidente da junta da União de Freguesias do Coronado ao Notícias da Trofa no passado dia 11 de Agosto. É cada vez mais raro ler uma entrevista a um autarca que não assente fundamentalmente em ataques pessoais, passagem de culpas aos seus antecessores e azedume em geral. Foi refrescante e contrasta em absoluto com a entrevista dada por Luís Paulo, também ao Notícias da Trofa, focada essencialmente num ataque cerrado a José Sá e sobre a qual falei aqui.

José Ferreira (JF), autarca da extinta freguesia de São Mamede do Coronado até às Autárquicas de 2013, mostra-se contente com o que considera ser um saldo positivo para os primeiros meses deste novo mandato, agora à frente de uma freguesia substancialmente maior, e refere o bom acolhimento de que tem sido alvo por parte das população da antiga freguesia de São Romão (JF é natural e antigo autarca de São Mamade). Quando questionado sobre os seus projectos para a nova freguesia, JF afirma que a fusão entre as duas freguesias é toda ela uma nova realidade que encerra em si só um projecto de readaptação. O que, convenhamos, faz todo o sentido.

Relativamente ainda ao ponto em cima, o autarca acrescenta ainda que tem como principais objectivos “dotar a freguesia do Coronado de melhor qualidade de vida e ajudar as pessoas a encontrarem soluções para os seus problemas“. O que no fundo é precisamente a função de um autarca: melhorar as condições de vida e dar resposta aos problemas dos seus cidadãos. Não sei se JF fez alguma promessa eleitoral disparatada e desonesta como outros no passado o fizeram, mas este tipo de discurso parece-me um excelente princípio.

JF aponta a falta de infraestruturas básicas como o saneamento e a rede de abastecimento de água e o mau estado da rede viária como principais dificuldades que se colocam ao seu mandato. Sobre a situação das estradas da freguesia, ao invés do habitual passa culpas PS/PSD, JF aponta baterias a todos os executivos pela inacção na resolução deste problema. Um lição para o comportamento de ovelha que habitualmente caracteriza este tipo de resposta.

Entre outras pequenas obras que pretende fazer, no apoio logístico que pretende disponibilizar às colectividades que desenvolvem trabalho nas áreas da Educação, Desporto e Cultura ou na recente criação de um Gabinete da Apoio Social para fazer face aos crescentes e variados pedidos de apoio dos habitantes da freguesia, existe apenas um momento em que o autarca aponta o dedo à CMT, e que diz respeito ao novo protocolo de delegação de competências que estabelece que a verba que vem sendo atribuída às freguesias para conservação das vias rodoviárias (no caso da UF Coronado ronda os 71 mil euros) passa a estar disponível apenas para as vias municipais. Isto coloca um óbvio problema para o executivo de JF que fica com a mesma migalha mas não a pode aplicar nas vias degradadas do interior da freguesia, entre outras necessidades referidas na entrevista.

A crítica não é indecorosa. Muito menos violenta. É um grito de alerta de um autarca com recursos limitados a quem são pedidos sacrifícios extra que, pelo que posso depreender das suas palavras, são incomportáveis para os cofres da freguesia. Perante esta situação, é fácil de compreender o chumbo do contrato interadministrativo de delegação de competências por parte do executivo do Coronado, ratificado em Assembleia de Freguesia. Ainda para mais quando à redução drástica das verbas disponíveis se junta a transferência da responsabilidade de pagar indemnizações resultantes dos danos causados em acidentes de viação que derivem do mau estado das estradas.

Depois da violenta campanha relativa ao mau estado da via pública orquestrada sectores da oposição a Joana Lima durante o mandato anterior, campanha essa que foi fundamental para desgastar a candidatura de Joana Lima e onde o termo “violento” assumiu uma expressão literal, é difícil de compreender este garrote que a CMT quer agora colocar na UF do Coronado. Uma freguesia da dimensão do Coronado merece e precisa de mais. E tudo isto me reporta para um post do blog da JSD de 24 de Julho de 2012 que perguntava “Será que Hoje as Juntas de Freguesia são tratadas sem descriminação?“. Vale a pena pensar nisto.

Advertisements
This entry was posted in União das Freguesias do Coronado and tagged , , , , , , . Bookmark the permalink.

10 Responses to José Ferreira, um autarca indignado com elevação

  1. Joaquim Azevedo says:

    Caro João Mendes, apenas quero dizer, que, os autores de …e a Trofa é minha, continuam a merecer o meu maior respeito, pela sua imparcialidade, desde já um muito obrigado pelas leituras que têm feito, poi assim continuam a contribuir para uma Trofa ( Concelho) que tanto lutou para chegar até aqui e infelizmente, as mudanças têm sido nulas. ( digo eu).

    • João Mendes says:

      Obrigado pelas palavras Joaquim 🙂 assim pretendemos continuar e sei que falo também pela minha amiga Silvéria! Quanto a mudanças, essas acontecem todos os dias e somos nós também que as fazemos. As mudanças num concelho estagnado por anos de incompetência demoram a chegar….

  2. Anonymous says:

    Boa tarde,
    No discurso dos politicos só gostava que fossem mais especificos, todos eles, porque dizer “melhor qualidae de vida e solucoes dos problemas”, isso quer dizer o quê?
    Isto sao frases feitas, mas nao me refiro a este autarca em concreto, mas a todos no geral!

    • João Mendes says:

      A mim irrita-me muito mais ver políticos a fazer promessas específicas que depois caem em saco roto. a citação poderá ser vaga mas encerra em si aquilo que deve ser a missão diária de um bom autarca. o resto serão as acções de JF que devem ser sujeitas a escrutínio.

  3. Jaime Dias says:

    Todos os autarcas enquanto candidatos JA SABEM PARA AQUILO QUE VAO. Comentario meu: Facam um referendo, uma peticao para que o ordenado (retribuicao monetaria pelo exercicio autarca) se limite ao ordenado minimo oficial em Portugal. Depois disso toda a gente pode ver o desenvolvimento da sua terra porque verbas nao vao faltar. tenho dito

    • João Mendes says:

      Compreendo o seu ponto de vista Jaime Dias. Mas parece-me que a possibilidade que coloca – a de reduzir o salário de autarca para o salário mínimo – teria um efeito muito residual ao nível das contas públicas. Não é por se pouparem mais (hipotéticamente) 20 mil euros que se verificará esse avanço no desenvolvimento de qualquer freguesia.

      Por outro lado, os salários devem adequar-se ao grau de responsabilidade e dificuldade da tarefa que encerram. Pode dizer-me que um deputado, por exemplo, recebe muito e produz pouco e eu concordo consigo. Mas isso deriva da forma como são escolhidos/eleitos este tipo de responsáveis e das responsabilidades e grau de exigência que lhes é imposto. Em países noutro grau de “civilização” como a Suécia ou a Noruega, este tipo de responsáveis recebem bem (e quando digo bem não me refiro a salários obscenos) e fazem valer o que recebem. E lembre-se que se os políticos são, no geral, pouco competentes e com tendência para a fraude, a responsabilidade é nossa que os colocamos lá.

  4. Sousa says:

    Boa noite,
    Começo desta forma, quem escreveu conhece o UF Coronado nomeadamente São Romão e São Mamede do Coronado?
    Qualidade de vida e melhores condições que a Junta procura proporcionar ?
    De duas tres, ou começam agora ano 2014 a oferecer essas condições ou entao está a mentir a todos os habitantes da freguesia, segunda a precariedade da falta de saneamento basico e agua da companhia na freguesia visto que nestes mandatos não iniciou a 3 fase do saneamento nomeadamente em sao Mamede do Coronado. Terceira e por ultima qualidade de vida que muito quer e falam de ser dos elementos somente da junta de freguesia.

    Sinceramente, desculpam-se agora que a Camara Municipal da Trofa é esta e aquela para esconder a falta obra na freguesia ? Colocar as culpas nos outros é facil.

    • João Mendes says:

      Boa tarde Sousa,

      Quem escreveu este texto conhece a UF do Coronado. Isso não significa que seja um académico no assunto mas tal também não o impede de escrever sobre o assunto até porque, neste caso específico, se limitou a fazer uma análise de uma entrevista. Não introduzi aqui nenhuma novidade meu caro, limitei-me a falar sobre aquilo que José Ferreira referiu na dita entrevista.

      Quando referi “Qualidade de vida e melhores condições que a Junta procura proporcionar”, limitei-me a dizer, caso se tenha dado ao trabalho de ler o que escrevi, que me parece um bom princípio. Não disse que era isso que estava efectivamente a acontecer até porque, o mandato de JF nem um ano completou. Questões de saneamento e água penso serem da responsabilidade da CMT e da empresa Indaqua/Trofáguas, não da junta da UF do Coronado.

      Mas acho interessante que tenha referido, com bastante revolta, que, e cito-o, “Terceira e por ultima qualidade de vida que muito quer e falam de ser dos elementos somente da junta de freguesia.” para em seguida ilibar a CMT de responsabilidades no cartório. Haverá aqui alguma questão político-partidária por resolver?

  5. Sousa says:

    Caro João, vou ter lhe dizer de forma muito directa e simples… Por acaso sempre que alguém que expressa uma opinião negativa é por uma questão politica?
    Neste caso referi a terceira e ultima para mostrar que a freguesia não sofre grande evolução acerca dos pontos essenciais para os habitantes, Saneamento, agua e infra-estruturas. Quanto a mandatos referia-me a ser o segundo mandato na presidência da freguesia de São Mamede do Coronado.
    Mas como referi, também fazem iniciativas de louvar como é exemplo a maior festa da freguesia o São Mamede Convida e agora o Coronado Convida. Temos de ser sinceros que teve e tem uma projecção muito elevada e muito bem conseguida. Mas a freguesia não pode viver somente de festas, convívios, passeios e apoios a algumas instituições.
    E agora termino desta forma vejam o que Sr. Jose Ferreira disse em 2009 na candidatura a junta de freguesia…

    http://joseferreira2009.blogspot.pt/2009/08/em-sao-mamede-do-coronado-faz-se-de.html
    EM SÃO MAMEDE DO CORONADO FAZ DE CONTA AINDA EM PLENO ANO 2014.

    • João Mendes says:

      Sempre não. Mas quando aparece escondido atrás de um perfil anónimo desconfio. Já tenho algum calo nisto sabe?

      Mas vou assumir que me enganei e pedir-lhe desculpa pela minha precipitação. Vou assumir que o senhor é apenas um cidadão comum como eu. As questões que volta a referir no seu segundo comentário – saneamento, água e infraestruturas – dependem mais do poder central (aqui a CMT) do que da Junta de Freguesia. Em segundo lugar, José Ferreira teve um mandato à frente da junta de São Mamede e agora um ano de mandato à frente da junta que agregou São Mamede e São Romão. Se os eleitores desta freguesia o elegeram, num contra-ciclo em que o PSD ficou com todas as juntas à excepção do Muro, por algum motivo há-de ter sido não acha?

      Quanto ao texto que publicou, é pura e simples estratégia eleitoral, transversal a todos os partidos. É o jogo que eles jogam e no qual nós alinhamos sem pestanejar. Mas como referiu, quem sou eu, um habitante de Bougado, para questionar o trabalho de JF? Eu limito-me a olhar para factos e o facto é que a população do Coronado deu uma vitória esmagadora ao actual presidente, mais de 20% acima da coligação PSD/CDS-PP.

Deixa aqui o teu comentário...

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s