Parque das Azenhas ou Passeio das Azenhas?

parque das azenhas sitehttp://trofaviva.com/parquedasazenhas/

Foi inaugurado, esta manhã, o Parque das Azenhas, na Trofa. Numa coisa todos temos que concordar: o lugar é bonito, convidativo e, de certa forma, é um passo para que o rio Ave comece a ser devolvido aos trofenses. Os mais velhos recordam assim os tempos em que nele iam a banhos ou nele brincavam. Os mais novos, que nunca tiveram esse gosto, podem agora aproveitar as suas margens para praticarem desporto, para passarem algum tempo ao ar livre, sem terem que se deslocar ao Parque da Rabada, em Santo Tirso, por exemplo.

Esta manhã, o Parque estava cheio de curiosos, trofenses e não trofenses, e confesso que gostei de ver que as pessoas se interessaram, que mostram a sua opinião e que têm agora um espaço que lhes permite fazer algumas coisas que dantes, quem não tinha oportunidade de sair da terra, não podia fazer.

15 d setembro de 2013 (13)15 d setembro de 2013 (2)

Contudo, e independentemente de ainda só ter sido inaugurado uma parte do percurso, sou da opinião que não deve ser inaugurada coisa nenhuma que não cumpra os requisitos todos para que funcione correctamente. Vejamos, assim à partida, algumas coisas que me parecem fundamentais:

– sendo um espaço que convida à prática desportiva, quem tiver sede não tem nenhum local com água potável disponível;

– se o desportista optar por levar uma garrafa de água e quiser deitá-la fora, onde estão os caixotes do lixo?

– além disso, existem poucos espaços à sombra.

15 d setembro de 2013 (19)

– aproveitar as margens do rio Ave é uma mais-valia. Todavia, convinha que o rio estivesse limpo e tudo à sua volta também!

15 d setembro de 2013 (9)

– como é que as entradas para o Parque não coincidem, pelo menos, com os extremos? No caso da Esprela, e tendo em conta que o Parque começa na zona da ponte de ferro, não só não há entrada nenhuma, como quem mora das imediações tem de passar por terra e pedregulhos se quer começar o seu percurso por ali.

15 d setembro de 2013 (25)

15 d setembro de 2013 (28)

– além de todos estes pormenores (que são lamentáveis, mas que também não são o mais grave), outras coisas me preocupam. Em primeiro lugar, a segurança. Hoje estava tudo muito bonito, muita gente, tudo relativamente seguro. Mas em horas de menor afluência? Em segundo lugar, aquando das primeiras cheias, o que vai acontecer ao passeio? Vai ser alagado? Estas questões já foram colocadas por diversas pessoas a quem, supostamente, saberia mais que o resto da população. Não foi dada qualquer resposta, mas espero que já estejam acauteladas.

Por fim, e tendo em conta o que aqui podem ver, não sei como se inaugura algo com a designação “Parque das Azenhas” se além de se resumir a um passeio (um bom piso, convenhamos) a par do rio, não tem um banco, um mesa de piquenique, um espaço com relva. As azenhas, que dão nome ao dito parque, mais não são ainda que meras figuras decorativas. Tudo se irá resolver, suponho, mas foi prematuro inaugurar a correr um espaço que nem faz jus ao nome…

Advertisements
This entry was posted in Trofa and tagged . Bookmark the permalink.

48 Responses to Parque das Azenhas ou Passeio das Azenhas?

  1. Anonymous says:

    Cara Silvéria,
    Como em tudo na Vida, também os Parques se constrõem, se aumentam, se enriquecem…
    Agora, é preciso é arrancar com um projeto e, à medida das possibilidades, valorizá-lo o mais possível.
    Estive ontem no Parque das Azenhas e também identifiquei uma série de coisas que estão em falta, mas confesso que fiquei muito contente por passar a ter aquele espaço que, embora “imperfeito”, já me permite fazer 1 simples caminhada tranquila, sem a preocupação constante com os carros que passam (realidade, até então, de quem caminha na Trofa) e, para mim, isso já é muito bom.
    Quero acreditar que para muitos Trofenses também será.
    Sou pelo Positivismo e por ver o lado Bom da Vida.
    Acho que é altura de mudar de registo e avaliar as coisas de forma inteligente, ou seja, sempre numa dupla perspetiva: os aspetos postivos (espaço de lazer sem exemplo na Trofa, contacto direto com a natureza, piso fabuloso para caminhada e corrida…) e as áreas de melhoria (ajardinar e arborizar as margens, bancos, requalificar as azenhas…). Só assim se Evolui.
    É altura de Valorizar as pequenas coisas, principalmente para quem nunca teve nada, senão rapidamente cairemos no erro de “desperdiçar uma Vida a criticar os acontecimentos ao invés de usufruirmos deles” e isso é retirar muito pouco desta magnífica oportunidade que temos de Vivermos neste pedacinho a que chamamos Terra.
    Eu Valorizo!… Eu já esrou a Usufruir!…
    Bem-vindo Parque das Azenhas!… Espero Muito de Ti… 🙂

    • Silvéria Miranda says:

      Anónimo(a),
      dá-me a sensação que não leu bem o que eu escrevi. Eu elogiei alguns aspectos. Critiquei outros porque, efectivamente, me pareceram negativos. E alguns deles bem simples e que deviam ter sido pensados. De qualquer forma, não sou dona da verdade, e daí procurarmos sempre, neste espaço, dizer às pessoas onde estão vídeos, notícias, programas eleitorais, etc. de onde tiramos os nossos pontos de vista. Qualquer leitor pode e deve consultá-los e fazer a SUA interpretação. Se a comunicação social ou outro espaço de onde tiramos essas informações é tendenciosa, isso também já ficará ao critério de cada um.

      Serei, muito provavelmente, uma das pessoas que mais utilizará este espaço (como utente do Aquaplace, ter ali um espaço ao ar livre onde se pode praticar desporto enriquece muito a zona), mas isso não quer dizer que não possa encontrar as suas falhas. Ocupar cargos públicos é isto mesmo, quem neles se mete já sabe o que o espera.

      De resto, este assunto contará com uma actualização para breve.

  2. Anonymous says:

    … Desculpem!… Por lapso, não me identifiquei.
    Zélia Coelho

    • João Mendes says:

      Cara Zélia Coelho,

      Antes de mais muito obrigado pelo seu contributo.

      Apesar da Silvéria estar longe de precisar de advogados de defesa, é importante deixar uma questão clara para que não hajam deturpações: não se está aqui a criticar a obra ou a “dizer mal” da mesma. A grande crítica aqui feita, 100% legítima, é única e simplesmente o facto do Parque das Azenhas ter sido inaugurado a correr por causa das eleições autárquicas. Tal fez com que o mesmo fosse inaugurado estando incompleto o que não se percebe sem ser à luz de comportamentos eleitoralistas típicos.

      De resto penso que todos estamos contentes por poder contar com este espaço que será com toda a certeza, um espaço muito procurado pelos trofenses (falo por mim claro). Agora inaugurar um espaço que nem um balde do lixo ou um banco tem e onde a maior parte do percurso não tem sombra é no mínimo ridículo.

  3. Anonymous says:

    Calma ! É preciso dar tempo ao tempo. Se foi inaugurado antes do tempo é outra coisa. Não sei se a razão foi de ordem política ou económica (apoios comunitários), mas o que é certo é que com os acabamentos em falta vai ficar um sítio muito bonito e já há muitos anos que acho que a Trofa se devia ter “virado” para o rio e não para uma linha de comboio.
    Agora muita atenção e bom gosto no acabamento do “parque”, principalmente nos pontos de apoio como nos relvados, novas árvores e resolver problemas estéticos como a saída do esgoto a jusante da ponte.

    • João Mendes says:

      Caro anónimo,

      Não me parece que qualquer directriz de cariz política ou económica force um executivo a inaugurar uma obra antes do tempo. Por isso sim, foi uma inauguração eleitoralista. Se não fosse os lacaios teriam mostrado a cara quando atacaram…

  4. trofasempre says:

    Parabéns a todos os envolvidos neste projeto, os trofenses principalmente ficaram a ganhar, porque esperar que a obra ficasse concluída se esta já nos permite caminhar ou andar de bicicleta numa boa parte do percurso.

    • João Mendes says:

      Caro Trofa Sempre,

      Bem sabemos que está sempre na vanguarda da defesa do actual executivo mas é importante ter isto em mente: não é preciso fazer uma inauguração de carácter ELEITORALISTA para que possamos começar a usufruir do que já está feito. Eu estive lá no dia anterior a usufruir e não precisei que o espaço estivesse inaugurado. Inaugurações fazem-se quando as obras estão concluídas.

      • Anonymous says:

        Diz que a silvéria não precisa de advogados de defesa mas no entanto faz questão de falar sempre quando não hle agrada…critica a opção partidária da pessoa que comentou em cima mas com o seu comentário tb não esconde nada a sua…por amor de deus

      • João Mendes says:

        Ai sim anónimo (Set. 20, 2013 3:34pm)? diga lá qual foi a opção partidária que eu critiquei sff? e já agora pode me dizer a partir de quê deduz a minha opção partidária? e já agora, qual é mesmo ela???

  5. Pingback: Parque das Azenhas ou Passeio das Azenhas? – ACTUALIZAÇÕES | …e a Trofa é minha!

  6. Anonymous says:

    Vê-se que são PSD, parem de criticar, não fazem melhor daí a dor de cotovelo!!!!!
    O parque tem sombras natural das árvores ao contrario de o que dizem na critica, porque afinal só sabem criticar, não sabem mais nada!!!!
    O parque se não fosse inaugurado as pessoas iam para lá na mesma desrespeitando os sinais…
    E esta foi das melhores obras já feitas na Trofa, o que outros partidos não foram capazes de fazer!!! Embrulhem!
    Só politiquisses!

    • João Mendes says:

      Caro anónimo,

      Nós somos sempre do partido que convém aos anónimos do partido que fica aborrecidinho quando ouve o que não quer. Volte mais vezes que nós gostamos muito de ovelhinhas obedientes a balir coisas engraçadas:

      blá blá blá embrulha
      blá blá blá dor de cotovelo
      blá blá blá só sabem criticar

      Eu e a Silvéria realmente não fazemos melhor. Sabe, nós não temos milhões de euros para fazer obras e o nosso emprego não é o de presidente da CMT. Mas digo-lhe que se fosse com certeza não ia fazer uma inauguração de uma obra incompleta apenas para inglês ver, esperava que a mesma tivesse pronta e ai inaugurava-a que é como normalmente se desenrolam estas coisas.

      De resto apenas agradecer a parvoice da sua intervenção porque aparentemente a mensagem está a chegar onde deve caso contrário você não viria aqui fazer essa figura triste (e engraçada ao mesmo tempo). E nem vou perder tempo a explicar-lhe mais nada porque como é evidente pelo seu discurso nem deve ter metido os pés no parque uma vez que está para ai a imaginar um parque com árvores que quase não existem ainda no das Azenha. É evidente também que não sabe a diferença entre utilizar um parque inacabado e inaugurar o mesmo.

      Tenha um bom dia personagem engraçada!!! Se for para nos fazer rir pode voltar todos os dias. Mas olhe que se tentar insultar alguém ou falar da vida pessoal de terceiros como se faz no blog da sua estrutura apagamos-lhe o comentário ok? É que aqui à regras e fazemos por cumprir as mesmas, não apenas quando nos convém!

    • Silvéria Miranda says:

      Anonimozinho(a) do meu coração,

      Se as pessoas respeitam ou não os sinais e vão para os locais proibidos ou não, isso é lá com elas e a sua liberdade de escolha. Também vemos na praia sinais de perigo que alertam para as rochas que se podem soltar e temos sempre pessoas de barraca montada debaixo dessas rochas. Mas elas foram avisadas e não é porque elas podem magoar-se que se vai retirar as rochas daí!

      Quanto ao resto, olhe, já ouvi de tudo. Já me disseram que era do PS, do PSD, do CDS, do BE, do PCP, do PEV, do Partido dos Animais, contra a existência de partidos, etc. Sabe que mais? Não importa o que eu diga, haverá sempre quem acredite e quem não acredite. Pouco ou nada me importa, sinceramente.

      Volte sempre!

  7. Anonymous says:

    Vocês é que ainda não foram lá é o que me parece!!!
    O parque das azenhas está cheio de árvores centenárias, mas vocês devem ser cegos, sem ferir os que infelizmente são realmente,… As árvores são enormes e parte do caminho tem sempre árvores. Podem queixarem-se de não ter relva realmente mas essa quando for plantada vai demorar alguns anos a crescer e a por o parque verde!

    Tratem é de eliminar esta pagina e deixarem de fazer figuras… OMG

    • Renato Couto says:

      Árvores centenárias? A acabar o seu comentário com “OMG” ou temos aqui um/a avô/ó adaptado à linguagem jovem ou então não passa de mais um/a come-papas, que acredita em tudo que lhe dizem. Como consegue garantir que as árvores têm mais de um século? (se é que isso vai contribuir para que façam mais sombra!)
      Cego deve ser o/a senhora, sendo o “passadiço” feito à margem do rio que tem orientação de Este para Oeste, como é que uma árvore que não seja de grande porte vai fazer lá sombra? A não ser que o sol para si nasça de Norte para Sul. Se disser que 10% do espaço tem sombra provavelmente até estarei a exagerar.
      Pessoas como o/a senhor/a é que deviam de deixar de fazer figuras ao fazer comentários tristes como esse, ao contrário de si, certamente que as pessoas que gerem este blog não têm uma visão deturpada como a sua, a integridade das pessoas ainda existe e nem todas andam à procura de “tacho”…

    • João Mendes says:

      “tratem de eliminar esta página!! blá blá blá whiskas saquetas”

      OK moço dos recados, vai fazer queixa à ERC lol
      quanto aos barretes, vai metê-los aos teus amigos ok?

  8. trofasempre says:

    Caro, João Mendes, não sou defensor desta câmara assim com não serei de nenhuma outra quero sim neste espaço onde nos é permitido de certa forma expressarmos as nossas ideias que poderão ir de encontro ou não com a atual câmara se assim for é pura coincidência. Em comentários meus anteriores com certeza que já leu não são favoráveis à gestão do atual executivo. Mas indo de encontro ao seu comentário digo-lhe o seguinte, por vezes é preciso fazer mal mas ao menos faça-se alguma coisa, porque depois de estar começada há maneira de as retificar, retificação que pode ser feita pelo próximo executivo caso haja mudança na CMT, e digo-lhe com toda a sinceridade que para mim é indiferente quem vai ocupar o trono, uma coisa sei o parque das azenhas está começado, já podemos andar numa parte, quem vier a seguir que acabe da melhor maneira para bem de todos os que vão frequentar o parque das azenhas, se não fosse assim se calhar o parque das azenhas ainda não teria saído do papel. Portanto digo novamente bem haja quem inaugurou o parque das azenhas, mesmo não estar nas condições que queria-mos que seria estar a 100%, ainda há tempo para melhorar é preciso dar tempo a este executivo ou outro é indiferente mas que façam alguma coisa, porque mesmo que esteja bem para uns estará mal para outros, é assim é vida.

    • João Mendes says:

      Então você não deve ser o mesmo Trofa Sempre do Facebook de certeza absoluta!!! se estou em erro, as minhas desculpas.

      De resto concordo consigo (já estou “farto” de dizer isto): eu sou a favor de todas as obras que melhoram a qualidade de vida da Trofa mas não sou a favor que essas mesmas obras sejam políticamente instrumentalizadas.

  9. joão says:

    engraçado que essa Silveria nunca fotografou as obras do antigo executivo

    • Silvéria Miranda says:

      tenha lá calma, se o executivo mudar eu vou fotografar as obras futuras todas. com as minhas comissões vou comprar uma máquina fotográfica profissional!

  10. joão says:

    o maior problema ia ser que se colocassem as bicas de agua Potável depois alguem que andou a
    fotografar ia dizer que estavam muito altas e quem nem todos chegavam para poder beber

    • Silvéria Miranda says:

      Isso não seria um problema, porque o João estaria lá perto para dar uma ajudinha a essa pessoa!

    • says:

      João não quero ser mal educado, mas estás a começar a roçar o ordinário com os comentários. Eu peço aos moderadores do blog para eliminarem os comentários deste “joão” pois considero-os ataques pessoais “camuflados” à Silvéria! E não, não estou a ser irónico, estou a falar muito a sério

  11. joão says:

    Silvéria enfim…. enfim mesmo……. será que as camaras anteriores nunca fizeram nada mal? ou nessa altura tinhas comissão?

    • Silvéria Miranda says:

      câmaras anteriores? comissões? diga-me onde estão elas ou onde eu as gastei, que já não me lembro! Obrigada!

  12. João Dias says:

    Só acho mal dizer que não há sombras, ou que a obra está inacabada.
    Caramba! não falta sombra e o parque parece bem na zona inaugurada.

    Claro que podem criticar mas, antes, não seria de louvar o MELHOR ESPAÇO que se fez na Trofa desde há décadas?

    • Silvéria Miranda says:

      você foi à inauguração do parque, no domingo? apanhou sombra na maior parte do percurso?

      eu nunca disse que era contra este espaço. ou disse? onde? mostre lá

    • João Mendes says:

      O João Dias não ia levar o seu filho imaginário à camião?

      Alguém disse que não havia sombra nenhuma? para um rapaz tão bem formado devia aprender a ler melhor!

  13. Pingback: Estratégias de comunicação à Esquerda e à Direita | …e a Trofa é minha!

  14. Anonymous says:

    Apesar de não ser original vou recomendar a leitura do “borda d’agua”, para tentar saber até quando ela estará disponível… se for um ano com precipitação normal até ao final do ano veremos os bancos e os caixotes do lixo da tão aclamada ciclovia a boiar em Vila do Conde… lamento mas é normal o rio ave subir e alagar as bermas do rio por isso infelizmente vejo um futuro triste para a ciclovia e seu pavimento.

  15. Ana Fontes says:

    Não discuto a necessidade e a futura beleza deste parque ou do outro. Será mais necessario os Paços do concelho, transportes coletivos abrangendo todos os pontos do municipio e a redução do preço da agua. Penso que assim se servia melhor os trofenses e o dinheiro seria bem empregue.

  16. Pingback: E o calhau sou eu?! | …e a Trofa é minha!

  17. Fernando Rosas says:

    Boa tarde! Antes de mais, dou os meus parabéns pelo blog! Politiquices à parte, o que importa é o bem estar geral da população trofense e utentes, em geral, do Parque das Azenhas ou outro nome que queiram dar. Para mim, o melhor partido é o que dá melhores condições de vida ao população, sem seguir qualquer ideologia…
    Está tudo muito correcto quando é dito que o parque foi inaugurado por motivos eleitoralistas e até que não deveria ter sido inaugurado sem ter sido acabado. Tudo certo, mas, há que ter em conta que os grandes parques foram construídos em diversas fases, exemplo disso temos o Parque da Cidade do Porto. Bem, estamos na Trofa, a distância kilométrica que nos separa do Porto distam apenas uns 20 km. mas longe, muito longe, desta mesma cidade a nível de mentalidades! Qualquer pequena vila em Portugal, quer seja no litoral ou interior, consegue criar algo em prole do bem estar e qualidade de vida de suas populações. Na Trofa, não! E porquê? O que eu vejo mesmo é o que disse anteriormente: Problema de mentalidades! Mas fiquemos por aqui e vamos ao que me motiva mais em dar a minha opinião em relação ao (antigo) parque das Azenhas. Sim, antigo porque tudo parou e, ao que se ouviu dizer, tudo a água levou com as conhecidas cheias do inverno já passado.
    Digo isto não de forma leviana pois, no decorrer do inverno, vi este artigo
    ( http://www.correiodatrofa.pt/index.php/12-reportagem/154-parque-das-azenhas-e-tudo-a-agua-levou ) by Correio da Trofa em 09/01/2014, que me deixou triste na altura porque tudo indicava que o dito parque tinha ido parar a Vila do Conde. Sorte a deles, ficavam assim com outro parque…
    Brincadeira à parte, há uns dias tive a curiosidade de ir ver tais estragos e como quase sempre, acompanhado pela máquina fotográfica.
    Vamos lá então ao parque e ver se não terei de mergulhar para o poder atravessar! Entrei pela entrada do Aquaplace. Lamentavelmente, está por acabar o início do acesso por esta via. Continuemos…entrei e, logo na descida, encontrei um pouco do piso danificado, talvez não mais do que meio metro quadrado. Chegando ao fundo, virei à direita para a ponte de ferro. Tudo “normal” até lá, nada que umas simples limpezas não resolvessem. Voltei então para trás ao chegar à ponte. Pensei de facto que em direcção às Azenhas da Barca e de Bairros tudo estaria muito pior. Pura ilusão! O “tapete” no seu geral manteve-se intacto, salvo algum cascalho sobre o mesmo em alguns pontos. As pontes em madeira estão intactas, à excepção de uma que faltam algumas madeiras do seu piso. (ouvi dizer que por vandalismo de alguém…). Os postes de iluminação no seu geral estão no lugar: Apenas dois tombaram na área que já tem o piso. Notei alguns sinais de vandalismo nos bancos como “grafittis” e a falta de lâmpadas nos postes tombados. A própria margem notei que estava intacta, apenas a queda normal de algumas árvores e queda de parte da vedação.
    Terminado o trajecto da fase com o piso, entrei na zona das (antigas) obras. Sim, antigas porque estão paradas…
    Caminhei cerca de 2 km por caminho em obras e nada vi de anormal para que as mesmas tivessem parado. Apenas o normal arrastar de britas em alguns locais e mais 2 ou 3 postes tombados. Disto tudo, possuo fotos.
    Dito isto, pergunto: Até quando irá durar esta paragem das obras? Isto é muito grave! Assim irá ficar mais caro um dia que recomecem!!! Quanto a mim, é má vontade! Quantos dos parques à beira rio e passadiços à beira mar ficaram destruídos por este Portugal fora e trataram logo de os recuperar? É o que digo, o problema da Trofa é mesmo um problema de mentalidades!
    Espero que estas mudem muito em breve e que siga em frente, novamente e brevemente, a construção do que falta do parque e reparação dos pequenos estragos causados!
    Estarei atento a tudo isto e muito mais, esperando que o actual executivo siga em frente com a obra e que não seja mais um, tipo, “mamarracho” na Trofa!
    Cumprimentos!

    • Silvéria Miranda says:

      Pois, também se exagerou um bocado na descrição dos estragos neste “Parque”, mas que os há, há… e estamos a falar de uma estrutura que custou milhões! Alguns estragos não são propriamente visíveis, mas o perigo está lá e também foi por isso, penso, que o “parque” foi fechado por questões de segurança (sinalética que nem toda a gente cumpre).
      As obras pararam porque também há pormenores que dependem de outras entidades, nomeadamente de quem financia o projecto. No fundo, quem fica a perder são os trofenses, que podiam ter um espaço agradável disponível e seguro e não é bem isso que têm por agora…

      • Fernando Rosas says:

        Sim, concordo que se exagerou e de tal forma que os Trofenses ficam a perder. Os perigos sempre existiram desde a sua “inauguração”. Agora não havia motivos para deixarem abandalhar…isso será muito pior do que os estragos causados pelas cheias! É a falta de manutenção, é a invasão pelas espécies invasoras, é o deitar água abaixo do que ainda está por acabar, etc. etc… De certo modo, acho bem que não se respeite a sinalética pois também não respeitaram os trofenses ao não informarem devidamente o que se passa! Assim pelo menos o “parque” não está ao abandono e evita-se sempre uma invasão de ervas daninhas, por exemplo… Não custava nada garantirem um pouco de segurança ao efectuarem umas limpezas diárias e repararem os dois postes tombados, entre outras coisas! Daqui por uns dias, nem os postes estarão lá, isso fará com que os prejuízos sejam menores? Mentalidades…

  18. Pingback: Fábulas de um Abril socialista há muito perdido | …e a Trofa é minha!

  19. Pingback: Ajustes directos: o polémico Parque das Azenhas | …e a Trofa é minha!

Deixa aqui o teu comentário...

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s